UFRJ leva estudantes de escolas de Macaé para contato com universo microbiológico

 

Projeto “Mundo Invisível” desenvolve atividades lúdicas em laboratório com uso de microscópios


Professor Pedro Hollanda coordenador do projeto. Foto: Bruno Pirozi Assessoria de Imprensa

Olhos atentos ao microscópio para descobrir um universo impossível de enxergar a olho nu. Alunos da Escola Alfa, em Macaé, participaram de uma aula diferente na manhã desta quarta, dia 9, no laboratório do Núcleo em Ecologia e Desenvolvimento Socioambiental de Macaé – Nupem. A ação faz parte do projeto de extensão “Mundo Invisível” da Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ e tem o objetivo de ampliar conhecimentos e saberes de estudantes dos níveis Fundamental e Médio com o contato do mundo microbiológico.

O projeto tem o objetivo de oferecer o espaço do laboratório e seus equipamentos para ampliar conhecimentos e saberes do universo microbiológico. Neste momento, os alunos da Escola Alfa estão estudando tecidos conjuntivos em sala de aula e utilizaram os microscópios e lupas do laboratório do Nupem para investigar este universo.

Alunos investigam objetos de estudos por meio de microscópio no laboratório do Nupem. Foto: Bruno Pirozi- Assessoria de Imprensa

Durante a ação, tanto o professor do Nupem, Pedro Hollanda, quanto a professora da escola, Cristiane Freitas, alimentaram os alunos de informação conforme surgiam as dúvidas por meio de investigações.

“O projeto surge como forma de construir juntos, escola e universidade, possibilidades para o ensino da microbiologia em todos os seus aspectos: meio ambiente, higiene, tecidos do corpo, biologia celular, entre outros. Vem para ofertar o campo da prática por meio de lupas e microscópios. Além disso, é importantíssimo trazer estes estudantes para a universidade, que é pública”, contou Pedro Hollanda, professor coordenador do projeto.

Para a professora da Escola Alfa, Cristiane Freitas, “a importância de unir a universidade e a escola é gerar uma aproximação entre a parte prática e a parte teórica. A parte teórica é complementada pela prática porque a escola tem seus limites e a faculdade colabora na ampliação dos conhecimentos da visão do mundo biológico”.

A cada investigação, uma pergunta, uma nova descoberta, uma pergunta. Dentro da ação, os alunos buscaram elementos em torno do Nupem para que fossem investigados nos equipamentos. Água pluvial e do canal, formiga, terra e flor. Nada passava despercebido as escolhas dos alunos para ser investigado.

“Eu nunca tinha visto estas espécies tão de perto. Os tecidos que a gente está aprendendo em sala de aula eu pude identificar usando os equipamentos”, contou a aluna Carina Mota.

Durante a ação estiveram presentes alunos de graduação e pós-graduação do Nupem.

Escolas interessadas em agendar uma ação do projeto “Mundo Invisível”, basta enviar um e-mail para hollandacarvalho@gmail.com.


Postagens mais visitadas deste blog

Rio+Saneamento abre vagas de emprego em Rio das Ostras

Pitty em Rio das Ostras: cantora fará show no Ostras Cycle 2023

Serasa orienta consumidores para evitar golpes ao negociar dívidas online